Satoshi Nakamoto é o pseudônimo do criador do Bitcoin, a primeira criptomoeda inventada e também a mais famosa e valiosa. Mas afinal, quem é essa pessoa? Onde vive? Do que se alimenta? Ninguém sabe. Mas existe uma certeza: Satoshi Nakamoto está mudando a história da economia global e a sua identidade é um dos maiores mistérios dos nossos tempos.

Ninguém sabe se Satoshi era homem, se era mulher, se era só uma pessoa ou era um grupo de pessoas, nem mesmo se está vivo agora em algum canto do Planeta Terra só observando o Bitcoin aumentar em adoção. Mas existem diversas teorias ao redor disso.

O que se sabe é que Satoshi Nakamoto começou a codificar a primeira implementação do Bitcoin na programação C++ em maio de 2007. Em agosto de 2008 ele enviou e-mails para dois respeitados cyberpunks, Hal Finney e Wei Dai, pedindo feedback sobre as primeiras versões do white paper do Bitcoin. Ambos deram um feedback positivo a Satoshi, dizendo que acharam o projeto muito promissor.

Alguns meses depois, em outubro de 2008, Satoshi publicou o white paper do bitcoin em um grupo de criptografia.

Isso causou alguma curiosidade na época, mas não dá pra dizer que foi, nossa, um sucesso! Na época, o próprio Bitcoin ainda não tava pronto. Satoshi ainda estava trabalhando na finalização do código.

Em 3 de janeiro de 2009, Satoshi abriu o código-fonte oficialmente e botou pra rodar a rede Bitcoin. Alguns programadores como o Hal Finney ficaram curiosos e também colocaram seus computadores pra trabalhar na rede do bitcoin e contribuir enviando relatórios de bugs pro Satoshi. Mas basicamente, nesse início, o próprio Satoshi Nakamoto era a única pessoa executando o software e minerando moedas.

A rede Bitcoin foi aos poucos ganhando atenção. As primeiras comunidades de tecnologia, como o Slashdot, perceberam esse curioso experimento e as notícias foram se espalhando. Era cada vez mais claro que havia uma nova forma de dinheiro na Internet, chamada Bitcoin.

No final do primeiro ano da rede, apesar do Bitcoin já ter alguns usuários executando o software, ele ainda não tinha um preço, valia ZERO, nada, nem um centavo. Satoshi permaneceu por mais alguns anos trabalhando no código e liderando a comunidade em torno do Bitcoin. Então, em abril de 2011, ele entregou o controle do site bitcoin.org e repositório do bitcoin para o desenvolvedor Gavin Andresen.

Pelo que se sabe, ninguém mais ouviu falar de Satoshi desde então. Nunca houve qualquer prova de quem seja Satoshi Nakamoto.

Atualmente, os endereços de Satoshi possuem cerca de 700 mil bitcoins. Se a gente calcular no preço atual de 40 mil dólares, Satoshi é um multibilionário. Mas o que é intrigante é que os bitcoins de Satoshi ainda estão paradinhos em seus endereços até hoje.

Desde o início Satoshi contou com a ajuda da comunidade cyberpunk para fazer melhorias na rede Bitcoin e algumas dessas pessoas são cotadas a serem Satoshi.

Então olha só quem tá nessa lista:

Hal Finney
Harold Thomas Finney, mais conhecido como Hal Finney foi um dos primeiros entusiastas do Bitcoin. Ele era um engenheiro de software defensor da criptografia e da privacidade digital. Finney foi um dos primeiros caras a rodar a rede Bitcoin, inclusive tem um twitte dele que ficou famoso onde ele escreveu “Running Bitcoin” do dia 11 de janeiro de 2009, ou seja, a partir dali ele estava junto com Satoshi rodando a blockchain do bitcoin. Finney minerou o bloco 70 e poucos e recebeu a primeira transação de Bitcoin já registrada na história: 10 bitcoins que Satoshi enviou pra ele como teste.

Em um post de blog de 2013, Finney diz que ficou fascinado com a ideia de uma moeda online descentralizada e sobre as interações que teve com Satoshi pela internet ele disse: "Eu pensei que estava lidando com um jovem de ascendência japonesa que era muito inteligente e sincero. Tive a sorte de conhecer muitas pessoas brilhantes ao longo da minha vida, por isso eu sei reconhecer os sinais."

Finney negou as afirmações de que foi o inventor do Bitcoin e sempre falou que seu envolvimento com a moeda foi no sentido de ajudar Satoshi e a rede.

Infelizmente Finney não está mais entre nós, ele morreu em 2014 de uma doença neurodegenerativa. O corpo de Hal Finney está congelado esperando a ciência achar uma solução para reviver os mortos.

Dorian Nakamoto
Tá mas quem é então esse cara nipo-americano que aparece no Google?
Pesquisa aí no Google "Satoshi Nakamoto" pra você ver o resultado. Tá vendo esse asiático? Esse é Dorian Nakamoto. Ele tem quase 70 anos, mora em Los Angeles e, segundo ele, não é o criador do Bitcoin.

Em 2014 saiu uma reportagem na Newsweek afirmando que Dorian Nakamoto era o Satoshi Nakamoto. Nessa época Dorian foi perseguido por jornalistas e até pela polícia, mas ele afirma que não inventou nem trabalhou com Bitcoin. Desde então Dorian virou um ícone no mundo bitcoin e a imagem do seu rosto é usada para representar a imagem de Satoshi.

Nick Szabo
Se tem um cara que já reviraram de cabeça pra baixo pra tentar descobrir alguma pista se é o Satoshi, esse nome é Nick Szabo. No final do anos 90, Szabo criou sua própria criptomoeda, a Bit Gold, e ele foi fundamental para o desenvolvimento do Bitcoin.

Pra vocês terem uma ideia, em 2014, uma equipe de pesquisadores linguísticos estudou os escritos de Satoshi Nakamoto e comparou com treze potenciais criadores do Bitcoin. Segundo eles existem muitas semelhanças que apontam Szabo como sendo Satoshi Nakamoto. Além do jeito de escrever, os pesquisadores descobriram que o white paper do bitcoin foi elaborado usando Latex, um sistema de preparação de documentos de código aberto. Esse mesmo sistema também foi usado por Szabo em todas as suas publicações.

Os pesquisadores também disseram que autor do white paper estava muito familiarizado com conceitos semelhantes ao bitcoin e que Satoshi faz referência ao b-money, hashcash e outros conceitos de Wei Dai. Curiosamente, o bit gold de Szabo não foi mencionado, apesar do bitcoin ter sido claramente influenciado pelo Bit Gold.

Pra completar, Szabo trocou a data dos seus artigos referente ao Bit Gold em seu blog para parecer que foram postados depois do lançamento do Bitcoin. Mas ele jura de pé junto que não é Satoshi e Szabo continua super ativo no twitter e nas conferências de Bitcoin.

Nessa lista de possíveis Satoshi Nakamoto entram também Adam Beck, Andreas Antonopoulos e até o Steve Jobs.

Já se passaram quase 10 anos desde o início do Bitcoin e ainda não estamos nem perto de confirmar quem inventou essa tecnologia revolucionária.

E como será que Satoshi poderia aparecer e provar a sua existência?
Uma das formas de alguém provar que é Satoshi é mexer nos seus bitcoins, fazendo alguma transação para um outro endereço de bitcoin. E faz todo sentido que o criador do bitcoin queira se manter anônimo. Se não fosse assim, provavelmente já estaria preso ou morto por ter criado uma moeda descentralizada, que não depende de Banco Central nem governo pra rodar e que ainda por cima é global.

Bitcoin mexe com o centro do problema político e econômico mundial: a centralização. De poder, de decisão, de renda. Além de destruir com os serviços de transferência mega custosos e eliminar a necessidade de intermediários como Visa, Master e PayPal.

Em 1998 um havaiano Bernard von NotHaus tentou colocar em prática uma nova forma de moeda chamada "Dólares da Liberdade". Sabe qual foi o resultado disso? Ele foi acusado de violar a lei federal dos Estados Unidos e sentenciado a seis meses de prisão domiciliar, junto com uma liberdade condicional de três anos.

E não foi só essa história. Em 2007, uma das primeiras moedas digitais, o E-Gold, foi proibida depois de muita treta com o governo americano, eles alegaram que a e-gold era esquema de lavagem de dinheiro.

Então, Satoshi Nakamoto tem bons motivos para querer permanecer anônimo. E é bom que ele continue assim porque parte do sucesso do Bitcoin vem do fato de ser realmente descentralizado, não ter um dono.

Mas por que alguém se daria ao trabalho de criar uma moeda descentralizada sem ficar por aqui para receber nenhum crédito?

Muito do mistério em torno de Nakamoto envolve suas motivações. Por que alguém se daria ao trabalho de criar uma moeda descentralizada pra depois desaparecer completamente e não ganhar os créditos por isso?Talvez uma das postagens originais de Nakamoto sobre a proposta do Bitcoin pode nos dar algumas pistas.

Em fevereiro de 2009, Nakamoto escreveu:

"A raiz do problema com a moeda convencional é toda a confiança necessária para fazê-la funcionar. O banco central deve ser confiável para não rebaixar a moeda, mas a história das moedas fiduciárias está cheia de violações dessa confiança. Os bancos devem ser confiáveis ​​para reter nosso dinheiro e transferi-lo eletronicamente, mas eles o emprestam em ondas de bolhas de crédito com apenas uma fração de reserva. Temos que confiar neles nossa privacidade, confiar neles para não permitir que ladrões de identidade drenem nossas contas."

Muitos na comunidade bitcoin acham que Satoshi pode ser um libertário que odeia os ricos e políticos corruptos. Outros dizem que o momento do surgimento do Bitcoin, nos anos seguintes ao estouro da bolha imobiliária em 2007,  é uma indicação clara de que a moeda foi criada como meio de acabar com o sistema bancário corrupto. A mensagem que Satoshi deixou no primeiro bloco do Bitcoin nos leva a acreditar que esse era mesmo o motivo.

Satoshi deixou uma mensagem no código do primeiro bloco do bitcoin, o bloco gênese. Ele inseriu o título do artigo de capa do jornal The Times daquele dia e esse artigo falava que o Banco Central Europeu pela segunda vez iria salvar a pele dos bancos do país que na época estavam quebrados.

A cereja do bolo veio em 2016 quando Satoshi Nakamoto foi indicado ao prêmio Nobel de economia.

Eu sempre me pergunto onde está Satoshi e se ele é realmente uma pessoa. Será que ele tá vendo toda essa valorização do Bitcoin? Será que tá acompanhado as tretas no twitter? E será que um dia ele vai aparecer, dar um sinal ou até mesmo revelar a sua identidade? Sinceramente, eu espero que não. Bitcoin nasceu para fluir organicamente e ser descentralizado.

Compartilhe este artigo