A rede lightning foi criada para dar mais agilidade e baratear as transações na blockchain do bitcoin. Isso porque a blockchain do bitcoin tem características voltadas para SEGURANÇA e DESCENTRALIZAÇÃO.

Esse triângulo é o famoso trilema das blockchains, onde você só pode escolher duas características, dois lados desse triângulo: segurança, descentralização e escalabilidade. Os códigos computacionais das blockchains não conseguem ter essas três características ao mesmo tempo.

Se são seguras e descentralizadas elas acabam ficando lentas e com dificuldade de escalar conforme a adoção aumenta. Se a blockchain é descentralizada e escalável ela acaba comprometendo propriedades de segurança dos dados. Se ela é escalável e segura ela deixa de ser descentralizada, você volta a depender de um intermediário. Nada diferente de uma visa ou PayPal.

Bitcoin é a cripto mais segura e descentralizada e são essas características que eliminam a necessidade da centralização dos bancos privados e bancos centrais.

Mas o processamento da rede foi ficando lento conforme mais pessoas começaram a adotar o bitcoin. A rede btc processa em média 7 transações por segundo, o que é muito pouco quando comparado à visa por exemplo, que processa em média 4.000 transações por segundo.

Os blocos de informação da blockchain bitcoin são conferidos constantemente e essa obsessão da rede com segurança e verificação constante dos dados torna a camada 1, a blockchain do bitcoin, muito mais lenta quando comparada com soluções centralizadas e até outras criptos.

“Tá, mas isso não é algo ruim? A camada base ser lenta e cara não dá escala né?”

Isso não é ruim, na verdade é muito bom! Se bitcoin quer ser uma nova rede financeira global e uma reserva de valor, ele primeiro precisa ser extremamente seguro e independente de qualquer governo. E isso bitcoin já é.  Cada transação na camada 1, na blockchain do bitcoin, precisa ser registrada em um bloco, o que demora aproximadamente 10 minutos para acontecer. Além disso os blocos tem uma quantidade de informações limitada a 1 MB, isso quer dizer que nem todas as transações que estão na fila entram no próximo bloco.

As transações que pagam mais para os mineradores têm prioridade na fila do processamento e são registradas primeiro nos blocos. Isso faz com que haja um gargalo e que pode ficar bastante congestionado em momentos em que muita gente resolve transacionar bitcoin. Depois que uma transação é registrada em blockchain ela é transmitida para todos os computadores que processam a rede.

Por isso que a rede é lenta. Cada transação leva em média 10 minutos para ser inserida em um bloco e propagada. Agora você entende porque a blockchain do btc não é a mais ágil pra processar pagamentos de camada 1 e pensando num planeta onde todo mundo utiliza bitcoin, essa camada 1 não daria conta da demanda crescente de transações.

E é por causa disso tudo que existem vários protocolos de camada 2 tentando solucionar a escalabilidade da rede bitcoin mantendo as características de segurança e descentralização. É tipo um segundo andar no protocolo: a camada um é a base, a estrutura e tudo que mantém a rede de pé e a camada dois em diante são todas as outras funcionalidades que se quer implantar na rede. O importante é ter uma base sólida e isso o bitcoin já tem.

Com esse objetivo foi criada a rede lightning para realizar milhares de transações de forma instantânea, por menos de 1 centavo, de maneira descentralizada e global.

Bom, mas como funciona essa camada 2?

A lightning network é um protocolo de pagamentos off-chain, ou seja, ele opera de forma paralela à blockchain do bitcoin e funciona através de nodes e canais de pagamentos que se conectam no mundo todo:

Isso quer dizer que é uma rede que se conecta no blockchain, mas nem todas as transações são registradas em blockchain. Assim como um prédio onde todos os andares obrigatoriamente se conectam ao 1º andar e a estrutura base, todo mundo que entra ou sai do prédio precisa passar pelo saguão, pegar um elevador e ir para o andar que deseja. Com bitcoin é da mesma forma. As camadas acima obrigatoriamente precisam passar pela camada base para entrar ou sair do protocolo.

Pra ficar mais claro, funciona assim:

Pra abrir um canal de lightning, duas pessoas precisam trancar fundos ou seja bitcoins em um endereço multisig, que é um tipo de endereço onde duas ou mais pessoas podem assinar as transações no blockchain. É tipo uma conta conjunta de bitcoin que evita um único ponto de falha. Essa transação é feita na camada 1, é como entrar no saguão do prédio.

Esses bitcoins trancados na blockchain representam a capacidade máxima do canal. Por exemplo, se eu e você quisermos abrir um canal de pagamentos na rede lightning, nós vamos precisar aportar fundos em um endereço multisig e vamos poder trocar valores dentro desse canal, desde que não ultrapasse o valor total que a gente travou.

É como se os andares acima do prédio fossem um bar e você tem uma comanda pré-paga. Você pode pedir o que você quiser, desde que esteja dentro do valor máximo que você pagou. Quando você quiser passar a régua na conta e fechar a comanda, o canal de lightning, é só você passar no caixa, fechar a comanda e ir embora pra casa. Ou seja, fecha o canal de lightning e fecha a transação em blockchain. Esta transação será minerada e o saldo final será quitado.

Em resumo, as duas únicas transações que são registradas em blockchain são: a transação de abertura e a de fechamento do canal.

Eu posso abrir um canal de lightning com você onde eu vou colocar 2 bitcoins e você vai colocar 2 bitcoins. A gente pode enviar satoshis de forma instantânea, quase de graça e o tempo todo, desde que não ultrapasse o valor total de 4 bitcoins.

Qualquer pessoa pode abrir uma canal de lightning, é só aprender a parte técnica, rodar um node e travar seus btcs nesse canal. Isso tudo permite a troca de milhares de transações sem ter que esperar aqueles 10 minutos de processamento do bloco e torna a rede bitcoin escalável.

E quanto a privacidade dessa camada?

Talvez você esteja se perguntando sobre isso. Essa parte é um pouco mais técnica, mas resumindo, a rede lightning assegura privacidade nas transações porque utiliza criptografia e também um protocolo semelhante ao TOR, o onion routing, que garante que os nós intermediários possam verificar e descriptografar apenas sua parte da rota e não xeretar os pagamentos de outras pessoas.

Existem várias carteiras que suportam a rede lightning como a Blue Wallet e a Zap. Mesmo assim, para manter o seu hodl de longo prazo, o ideal é você manter seus bitcoins na sua wallet via camada 1, via blockchain, por ser a camada de maior segurança.

Apesar da gente não ver muita gente usando lightning aqui no Brasil, a rede está crescendo rápido. Hoje existem cerca de 19.700 nodes, 42 mil canais e mais de um milhão de bitcoins travados em canais de lightning.

Além disso, conforme o bitcoin cresce em adoção a rede lightning também acompanha esse crescimento global. Cada vez mais países estão utilizando essa rede de pagamentos. A gente observa esse crescimento da rede lightning também através do aumento de bitcoin travados na rede desde 2017. Quanto mais bitcoins travados, maior a capacidade e o volume financeiro da rede.

Em termos de usabilidade dessa rede, uma função genial que pode ser adotada é que a rede lightning permite a evolução do consumo sob demanda. Já aconteceu com você de ficar pagando uma taxa de assinatura mesmo sem usar mais o serviço? Pois é, com a rede lightning podem ser criados modelos de negócio sob demanda, onde você paga só pelos minutos ou segundos que consome. Isso poderia ser usado em aplicativos de música, de filmes ou de qualquer conteúdo online.

E vou além, já imaginou receber seu salário a cada hora ou minuto trabalhado?  É aqui que o tempo e o dinheiro se juntam permitindo micropagamentos e novos formatos de receber seu pelo seu trabalho.

Nas nossas viagens exploratórias, poucos estabelecimentos aceitam via rede lightning. A gente espera que no futuro as pessoas consigam transacionar cada vez mais mais rápido, globalmente, a um custo baixo, mas principalmente usando bitcoin, o dinheiro mais sólido que existe.

Compartilhe este artigo